Beto Dois a Um aponta que modelo de trabalho democratizou investimentos na cultura e esporte

Ex-secretário da Secel-MT e candidato a deputado estadual, Beto Dois a Um (PSB), ressalta ações executadas para promover mudanças reais nos setores

Assessoria

O candidato a deputado estadual, Beto Dois a Um (PSB), avaliou durante entrevista que, durante os três últimos anos de gestão do atual governo de Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), promoveu uma série de ações conjuntas na pasta para atender áreas esquecidas e garantir avanços importantes na cultura e no esporte. “Buscamos democratizar o acesso aos recursos e ampliar o alcance para públicos que antes não conseguiam acessar os editais e quando acessavam não conseguiam ser contemplados para concretizar seus projetos”, afirmou.

Conforme o ex-secretário da Secel-MT, Beto Dois a Um, no período em que foi gestor, a secretaria lançou editais que contemplaram diversas áreas da cultura e do esporte, com estratégias de descentralização e desconcentração territorial dos recursos, possibilitando uma ampliação de mais de 80% de municípios com projetos financiados pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer sendo executados.

“Fizemos reparos históricos. Criamos formatos de editais, com critérios sociais, econômicos e territoriais para que pessoas que nunca tiveram oportunidade pudessem ser contempladas. Ampliando a diversidade de produtos ofertados a população e democratizamos o acesso aos recursos, que chegaram aos quatro cantos de Mato Grosso, com projetos contemplando todas as regiões do Estado”, destaca.

Beto também aponta a dimensão do alcance com a forma em que foi aplicado e promoveu uma diversidade ainda maior, para que os trabalhadores e grupos da cultura tivessem mais acesso aos fundos. “Conseguimos pluralizar o atendimento ao setor cultural em relação aos editais do passado. Incluímos indígenas, quilombolas, pessoas com deficiência, comunidade LGBTQIA+ e diminuímos as distâncias, desconstruímos fronteiras”, pontua.

Beto Dois a Um aponta ainda o modelo prático de gerenciamento como um dos pilares para o sucesso dos editais da Secel, conceito que, segundo Beto, vai muito além de moldar os formatos para apresentarem bons resultados. “Foi preciso pensar a gestão com foco nas pessoas desde o princípio da iniciativa, fator que promoveu mudança até dentro dos perfis de contemplações dos programas”.

“Um exemplo disso, é que destinamos 60% dos recursos para os municípios do interior de Mato Grosso e 40% para a Baixada Cuiabana. Outro ponto é que antes dessa gestão, aproximadamente 70% dos projetos culturais eram aprovados por homens. Hoje, as mulheres representam 54% dos projetos contemplados”.

Para Beto Dois a Um, este é um modelo de trabalho que pretende levar para dentro da Assembleia Legislativa. “Eleito deputado estadual, pretendemos fazer um trabalho focado em resultados que efetivamente atenda a população e os setores mais necessitados. Nossas bandeiras são claras e as entregas que fizemos nos trouxe até aqui”, aponta.


Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui